Gravou a transa vagabunda deliciosa gozando de seu colega de escola de congonhas – sp

53 seg

Categoria:

Tag: , ,

visualizações

53 seg

Categoria:

Tag: , ,

Gravou a transa vagabunda deliciosa gozando de seu colega de escola de congonhas – sp

Gravou a transa vagabunda deliciosa gozando de seu colega de escola de congonhas – sp

– Sabe qual é o problema, psicólogo? (Sou formado em psicologia, e os colegas me chamavam assim carinhosamente) Eu realmente queria ser uma vadia – e me olhou com os olhos pesados de tristeza. Era estranho presenciar aquilo, até porque mesmo sabendo que eles transavam ver com os próprios olhos me parecia mais uma inversão de realidades do que qualquer coisa, e o pior de tudo era o misto de estranheza que invadia meu corpo; um misto de nojo e excitação que me hipnotizou naquele momento e não me fez perceber minha ereção encostar na bunda de minha irmã, que estava em minha frente.

Me disse eu quero é vou aproveitar todo dei risada e fomos para o privado, e resumo combinou de me pegar no aeroporto Congonhas porque ficaria mais perto para o caminho dela que iria com pernão de fora( eu tinha falado que adorava pernão bundão e peitão). Uma bela tarde fomos juntos ao estoque pegar material e ali rolou o primeiro beijo, cheio de desejo , logo arrumamos um jeito de trancarmos a porta e ele me jogou em cima da mesa me beijando loucamente e começou a explorar meu corpo, até que ele colocou a mão na minha bucetinha rosinha e depilada que já estava toda encharcada e começou a bater uma pra mim, estava indo a loucura quase gozando, até que bateram na porta e tivemos que interromper ,Ficamos semanas nos pegando dentro do estoque.

’"Eu estava voltando da faculdade de ônibus, quando chegamos ao terminal central da minha cidade, onde eu deveria esperar por outro ônibus, encontrei um amigo que a muito tempo não via, da época da escola, um rapaz simpático e muito bonito, foi um encontro ocasionado pelo fato de ele estar sem carro e por isso teve que usar o transporte coletivo. Começamos a nos divertirela me aranhando mordendo e as vezes uns tapas na caraate que um dia eu decidi que ia agarrar elae no meio disso descobri que ela tinha namoradomas ele nao importa ele e um corninho mansodepois disso eu ia com ela ate a esquina da casa dela que ficava perto da minha e um dia eu fui abrasala e cheguei beijando ela assegurou meu rosto e empurrou me para tras e arranhou meu queixoe ai agente se foi para casa eu para minha e ela para a delae quando cheguei em casa vi que tinha uma chamada perdida em meu celular era dela mesmo eu nao tendo o numero dela eu sabia pois ninguem me ligava naquela epoca sem ser minha maeai eu liguei para ela e ela atendeu nos comversamos ate mais ou menos as 4 e meia pois ela tinha que buscar o irmãozinho dela na escola e eu de brincadeira pedi para ela vir em minha casa que ficava na ida para a escola e ela falou que viriadepois disso ela veio eu abri a porta dei um abraço e ela fechou a porta com força e me agarrou com tudo e depois me jogou no sofáeu fiquei excitado so de ver ela daquele jeito muito deliciaela com um shortinho jeans bem coladinho e uma blusinha brancaela sentou em meu colo e começou a me beijarpeguei e comecei a massagear os seios dela ela ficou exitada , comecei a lamber aqueles peitos com vontade dando umas mordidinhas de leve nos mamilhos e ouvindo ela gemer de tesãoela começou a me arranhar nas costas pois eu estava sem camisalevei ela para meu quarto no colo arranhando cada vez mais fortedeitei ela na minha cama tirei a blusa dela e o shortinho jeanse tirei a calcinha de oncinha que ela estava ,comecei a chupar aquela pepekinha deliciosaela começou a gemere me puxou pelos meus cabelos que nessa epoca erao pelo pescoçome deu uma mordida forte no pescoço e me colocando deitado na camae subindo em cima de minai ela tirou minha calça e começou a lamber dez do meu pescoço ate meu umbigo pegou meu monstro do jeito que ela chamava e falou me arromba seu gostosoe pegou e foi sentando de vagarzinho nele foi fazendo uma carinha de tesão e arranhando todo meu abdômen foi quando tirei um chicote de baixo do meu travesseiro ela ficou com mais uma cara de safadinhame olhando e quase nao aguentando de tanto tesao com a minha rola quase toda dentro da bucetinha dela. Fui ao banheiro me molhei e voltei com a langerie colada e transparente, aflorando uma extrema sensualidade vagabunda.