Novinha Se Masturbando E Gemendo Gostoso

visualizações

35 seg

Categoria:

Tag: , ,

Novinha Se Masturbando E Gemendo Gostoso

Novinha Se Masturbando E Gemendo Gostoso

METEMOS MUITO PUXEI SEU CABELO, BATI NA BUNDA, DEI TAPA NA CARA, FIZ ELA GOZAR MAIS VEZES, E A SAFADA PEDIU PRA EU COMER SEU CUZINHO, QUE NÃO FIZ JUSTAMENTE PRA DEIXAR ELA CURIOSA E QUERER NOVAMENTE. Bombando ela, ela gemendo e falando que eu era muito gostoso q iria gozar de novo, falei – safada goza no meu pau de novo sua delicia pq eu to loko para encher sua bucetinha de porra, ela começou a goza e eu vendo ela gemer gozei muito naquela bucetinha, nossa que delicia nunca gozei tanto assim, tirei o pau de dentro e sentamos quase morrendo no banco de traz, ela dize – que foi o melhor sexo da vida dela que ninguém nunca fez ela gozar assim e ainda três vezes em uma transa só, nos vestimos e fomos embora, quando bate a vontade nela ela vai me buscar n o serviço, safada gosto mesmo do meu pau. Lembrou-se da transa com ele, imaginou ele sobre ela novamente, entre suas pernas, penetrando-a. Aceitava todas as carícias e aprendeu tudo que precisava. Gostava da liberdade que a nudez lhe proporcionava. Gemeu, gritou e tremeu muito, praticamente desfaleceu enquanto eu tirando o pau já gozando levei-o a boquinha dela, eu no momento não estava com minha filha, ela ainda meio fora de sí aceitou o membro pulsante e teve sua boca invadida por jatos de porra, recuperando a ação percebeu o que se passava e não teve dúvidas, limpou bem o cacete engolindo toda aquela porra sem engasgar:-Gostoso papai…leitinho bom…tua putinha quer mamar mais…E continuou chupando gostoso. Quando gozei ele mei virou e meu comeu gostoso de novo.

Quando fui buscar ela no aeroporto no outro dia fomos a viagem toda pra casa excitados e ela me masturbando…chegamos em casa e fizemos um sexo delicioso…Agora meu maior fetiche é vê-la dando para dois(ela já saiu novamente com dois, mas fica para outro conto)….

Você irá adorar a voz dessa novinha contando este conto no seu ouvido.

Chegava a hora em que, segundo me disseram, começaram a pensar em outras pessoas na mesma cama que eles.