Porno Amador Namorada Muito Peituda Gemendo Com Dedinho No Cuzinho Com Paciênte Da Zona Sul De São Paulo

Porno Amador Namorada Muito Peituda Gemendo Com Dedinho No Cuzinho Com Paciênte Da Zona Sul De São Paulo

Porno Amador Namorada Muito Peituda Gemendo Com Dedinho No Cuzinho Com Paciênte Da Zona Sul De São Paulo

Marcos e as meninas caíram na estrada rumo a São Paulo, e perto do início da noite já se aproximavam de São Paulo.

:3 Eu sou ruiva dos olhos verdes super peituda muito gostosa e gosto muito de fuder.

chegando lá ela perguntou como eu estava, disse que estava tranquila, mas que iria só ver ela disse tudo bem, mas que pelo menos eu teria que ficar nú, fiquei com medo mais ela foi logo tirando minha roupa e depois também tirou, ela disse agora vamos para a sala, o sitio era grande com uma sala maior que meu apartamento com tudo novo, chegamos na sala para minha surpresa estavam todos os 9 homens nus, pelados assistindo um filme porno.

Depois disso preferi parar pq eu tinha uma namorada e até passei a cortar o cabelo em outro lugar. Ela já estava gemendo de prazer,e eu então nem se fala.

Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal. Depois de um tempo ele segurou meu braço e falou meio desesperado:Ola o conto que vou descrever hj e bem real espero que gostem nao irei revelar meu nome vou me apresentar como johnie eu tenho 1,70 de altura uns60 kg olhos pretos e sou moreno desde e tenho 18 anos desde pequeno eu sempre tive uma vontade enorme de comer minha tia ela e uma bela mulher com uma bunda enorme e pele morena mais eu acho que nunca me deu mole foi se passando alguns anos e eu fui ficando mais velho e aquala velha vontade me matando como smp minha tia smp foi uma piranha ficava com uns homens a cada dia dps começou a ficar com mlks da minha idade e eu sabia de td e ficava mais louco de tesao por aquela cachorra td mudou em um dia que ela estava bebendo com as amigas dela de tarde ate o anoitecer foi quando ela foi pra casa ela e dona de um quintal enorme e no quintal dela tem um macinhero fdp q era o comedor dela e ele tinha um ciume dela danado foi quando eu fui com ela ate sua casa e esse cara ficou enchendo o saco dela falando q nao queria mais ela de piranhagem na rua e td mais e queria ate agredir ela mais obviamente que eu nao deixei e claro quase cai na porrada com ele mais pra mim comer ali eu tinha que dar uma asistencia ne rs dps que chegamos em sua casa ela logo abriu a porta nervosa e me convidou pra entrar e claro que aceitei o convite a final ela mora sozinha ne ela ligou a tv pegou umas cervejas e me chamou pra ficar ali assistindo e bebendo com ela o tempo foi passando e ja estava de madrugada quando eu falei pra ela que iria embora que ja estava tarde entao ela rapidamente se levantou e trancou a porta e pediu pra mim dormir ali com ela eu como nao sou bobo nem nd aceitei ela arrumou minha cama e foi tomar um banho e eu fui me deitar e fiquei escutando musica foi quando a porta do quarto se abriu e ela entrou com uma calcinha fio dental e com um mini sutia eu logo fiquei de pau durasso vendo aquilo nao resisti e parti pra cima daquela cachorra comecei a beijar ela e a passar a mao naquela buceta carnuda que delicia de mulher dps ela se abaixou e começou a me chupar eu tava com tanto tesao que nao demorou muito pra mim encher aquela boquinha de veludo de porra logo em seguida coloquei a camisinha e mandei ela ficar de quatro ela logo me pediu pra comer logo aquela xereca e eu atendi logo o pedido e penetrei com tanta vontade que ela solto um gemidinho bem gostoso e eu ali metendo bem rapido que nao demorou tanta coisa pra mim gozar de novo dps ela foi ate o quarto dela e pegou o ky pra gente fazer um anal gostoso eu esperei tanto por esse momento ela começou a passar o ky no meu krl de uns 20cm dps foi minha vez de lubrificar aquele rabo preto e gostoso comecei a penetrar e ela dando uns gritinhos de dor foi ai que eu fiquei mais tarado e comecei a bombar bem forte aquele cu fiquei ali metendo por uns 20 minutos dps dei a terceira rajada de porra naquela bunda logo dps fomos dormi agarradinhos amanheceu e ela eu comi ela dnovo antes de ir pra casa fui pra minha casa satisfeito e querendo mais rs dps fiquei na rua com o filho dela que e meu primo e ficamos conversando e novamente chegou a noite e ela foi la em casa pedir minha mae pra eu dormir na casa dela pra acompanhar ela que ela estava com medo do fdp do cara q morava no quintal dela mais no fundo eu sabia que ela queria levar mais pirocada no rabo mais esse relato fica pro proximo episodio vlw se gostaram do meu conto me chamem no zap meninas e mulheres mais velhas 966483331 vlw fuiiiiO fato que relato agora aconteceu comigo e minha esposa, quando viajamos para participar de um casamento, fomos nós dois e uma amigo que queria conhecer a cidade, pois estava de férias, ficamos uma semana na cidade, nesta semana não pude dar nenhuma trepadinha com minha mulher, além da casa estar cheia, ela tava menstruada e eu tava doidão pra comer minha mulher. Firme e no maior pique, coloquei ele na beira da piscina e voltei a chupar como louca, me colocou de lado e comeu gostoso minha bucetinha que há essa altura estava bem molhada e inchadinha, fizemos 69, esfregava aquele pauzão no rosto na boca nos peitos, e quando ele me chupava ele simplesmente atolou o dedo no meu cuzinho, quase gozei de novo, nunca tinha introduzido nada ali, arrepiei toda, ele viu o tesão que fiquei , aí ele perguntou se o filho dele nunca tinha fodido meu rabinho eu disse que não nem um dedinho, ele foi loucura e disse que ia comer meu cuzinho, eu disse nem pensar, não ia dar conta, na bucetinha já estava custando imagina no cuzinho, então ele me deitou na rede de bunda pra cima e começou a lamber meu cuzinho fiquei louca, enfiou o pauzão de novo em minha xaninha e começamos novamente um vai e vem descontrolável, só pedia pra ele não enfiar tudo pois ia me machucar, ele foi acelerando e não parava nunca, sentou num banco alto me segurou pela cintura e deixou minha bucetinha ir engolindo aquele mastro conseguia ir ate a metade, que delicia, nisso seu filho, meu namorado liga e perguntou como eu estava, e nesse momento estava com a rola de seu pai entrando e saindo, respondi ofegante que estava correndo na rua e não podia falar naquele momento, desliguei e meu sogro acelerou, tinha hora que ele introduzia um pouco e eu sentia uma dorzinha, aí ele me colocou sentado numa banqueta alta e empinei pra ele, minha bucetinha e meu cuzinho todo oferecido, ele passou a língua e começou a morder minha bunda e meu cuzinho, comecei a piscar pra ele foi quando ele introduziu o dedo eu dei uma gemida tão louca que quase entrei em transe, comecei a rebolar no dedo dele como se tivesse fodendo seu pau, então ele levantou e começou a esfregar a cabeçona dura no meu cuzinho todo lubrificado, pedi pra não enfiar no cuzinho, mas no fundo estava querendo sentir, mas também com medo, ele todo firme falou relaxa vou de vagar, foi forçando a cabeça, era impossível aquilo entrar, ele forçando e de repente relaxei a metade da cabeça entrou e deu um ardido, as pregas do meu cuzinho estavam sendo literalmente rasgadas, aí ele enfiava de vagar e tirava pra eu me acostumar, daí ele foi forçando até aquela cabeça monstra entrar ardeuuuu, mas eu queria dar uma de experiente, eu mesma comecei a mover meu corpo fazendo a cabeça entrar e sair do meu cuzinho, até eu ter outro orgasmo, não deixei ele forçar o pau dele no meu cuzinho pois fiquei com medo de não voltar ao normal, kkkkkk, fui fazendo movimentos de vai e vem sentindo toda potencia daquele enorme pinto, estava exausta, ele percebeu que já estava cansada de tanto levar rola, então ele me sentou e fez eu chupar até ele me dar um banho de porra que jorrou por todo meu rosto e seios, suguei e lambi tudo, pela primeira vez tinha recebido porra no rosto e na boca, que delicia, essa foda com meu sogro foi alucinante….

Senti ela se abrindo, enquanto chupava o outro ele ia alternando as estocadas com dedadas no meu cuzinho ainda virgem.

Ela aguardou pacientemente que sua musculatura se acostumasse com aquele intruso, no que o seu experiente namorado ajudou.