Rabuda Implorando Pra Dar O Cu

visualizações

2 min

Categoria:

Tag: , , , , , ,

Rabuda Implorando Pra Dar O Cu

Rabuda Implorando Pra Dar O Cu

Gosto de ver mulher implorando e pedindo por favor pra não machuca-las.

– Sua vagabunda, você acha que eu não sei que é virgem – ele forçava todo seu membro em minha boca até eu perder o fôlego – Chupa, cachorra.

o padre segura no na bunda e mirou a rola na buceta e meteu.

Ela ficou olhando pra rola grossa da cabeçona do frade. Eu sorvia cada gota daquele mel, mas ele não parava de brotar, escorrendo pelos cantos da minha boca.

Quando ouvi ela dizer isso eu até assustei, mas juro que ela disse isso mesmo. Pude então vela de quatro e pela primeira vez outro homem penetrando sua buceta, pude ouvir seu gemido quando outro pau invadiu aquela buceta apertadinha e ao lado da cama ouvir seus gemidos enquanto ele bombava, entrando e saindo.

De repente, sem mais nem menos, ele guardou seu pau, lavou as mãos e saiu do banheiro, sem nem olhar pra tras.

Mas apostei pra ver e sentir…Preliminares rolando: beija, pega, chupa, lambe, 69… Hora de entrar.

Ficaram um pouco confusas a princípio, mas claro que não seriam loucas de me questionar e correrem o risco de perder o emprego. Almoçamos, conversamos bastante, tudo normal, até que certo momento toda a família se reuniu no terraço da casa para orar.

Ele ainda morava com os pais na época e não tinha namorada. Falou que tinha um creme bom.

Tinha 28 anos e era casada há seis. Eu abaixava aquela apertada calça e agora o volume estava apenas escondido sobre os panos elásticos da cueca. a gente sabe que vc vai voltar putinha rabuda, e me comeram quase que diariamente por uns 40 dias…. Levou uma semana para ela, entrar em contato com ele, uma eternidade presumo eu para ele, mais conversaram por uma semana sem se ver pela condução, ele disse não acreditar que um mulherão daqueles, difícil de esquecer, estava a conversar com ele e tinha dado bola pra ele, mais uma semana se passou e lá estava ela novamente sentada e adivinha quem senta ao seu lado todo simpático, ele mesmo o rapaz (Júlio – Nome Fictício), eles se cumprimentaram ele a beijou no cantinho da boca, neste dia ela usava vestido bege (com um racho na perna direita) e um sapato boneca preto de salto alto, estava mais gostosa do que nunca, cabelo preso rabo de cavalo, batom leve nude, o Júlio nem disfarçou quando a viu daquele jeito ela reparou o volume que formara em sua calça (Jeans, pasmem), o que a deixou muito excitada no momento, e la vai a mão boba alisando a cada balançar do ônibus, as pernas da minha esposa, que relaxou e aproveitou o momento, ao descerem ele a convidou para conversarem mais, pois no outro dia nem deu para conhece-la melhor, ela fez um charminho mais aceitou e ficaram conversando de bobeira até que em certo ponto ele a convidou a passar rapidinho na casa dele pois ele precisava pegar algo, (pretexto claro), para poder leva-la até lá para poder agarrar ela. Moramos em Salvador, BA e um belo sábado resolvi realizar essa loucura.

Foi uma cena muito excitante ver a minha mulher sendo acariciado por aquele cara tão bonito.

Era o número de Tiago.