Sexo Amador Novinha Casada Sofrendo Muito No Sexo Anal Por Ex-namorado De Boa Vista – Rr

23 min

Categoria:

Tag:

visualizações

23 min

Categoria:

Tag:

Sexo Amador Novinha Casada Sofrendo Muito No Sexo Anal Por Ex-namorado De Boa Vista – Rr

Sexo Amador Novinha Casada Sofrendo Muito No Sexo Anal Por Ex-namorado De Boa Vista – Rr

"Ela – vai , vaiiii , vaiii – e por ultimo – vai empurra esse pau na minha bundaOlá, meu nome é Rodrigo, tenho 33 anos e sou agrônomo, sou casado, mas minha esposa trabalha em outra cidade, e só vem para casa nos fins de semana, por isso toda semana uma diarista chamada Regina vai em minha casa fazer faxina, ela é muito caprichosa, e apesar de ter 41 anos é bastante jovial e brincalhona, e mesmo tendo um filho de 9 anos ainda tem um belo corpo, com uma bunda durinha e peitos pequenos, mas o que mais chama atenção nela é seu jeito safado de falar e agir, sempre usando um shortinho curto e uma blusinha que tapa apenas os seios, no começo ia com a sua mãe, que também é diarista, mas como a mãe arrumou um emprego fixo, ela passou a ir sozinha, bem, depois de um tempo ficamos amigos e ele contou que seu marido ficou cego por causa de toxoplasmose e que por possuir um problema de obstrução de uma artéria estava sofrendo de dores de cabeça e foi proibido de fazer esforço físico, sem poder nem mesmo fazer sexo.

Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal. O meu problema é que nunca tinha sentido um orgasmo em minha vida, minhas outras transas tinham sido com um ex-namorado e ele nunca conseguiu me dar prazer total.

Não queríamos qualquer pessoa, ate para nos preservar em todos os sentidos, mas também não tinha ninguém em vista,até que lembrei de uma amiga.

Coloco uma mão por dentro de sua calça, por cima da sua calcinha, calcinha essa que quase me faz ter um orgasmo neste instante, era de algodão, rosa bem claro, bem cavada, sem desenhos, típico de menina novinha. Eu e a minha irmã, estávamos fantasiadas de colegiais, que era uma sainha xadrez bem curtinha, uma mini blusa branca, desabotoada e só amarrada na cintura, meu marido estava fantasiado de marinheiro, ele não largava da cinturinha da minha irmã e como os homens dizem, ela estava um verdadeiro tesão, tinha muita gente no bloco e estava muito apertado, todo mundo pulando, cantando e bebendo, aquilo estava uma maravilha, mas eu sentia muitas mãos pegando na minha bunda e apertando os meus seios, então reclamei com o meu marido e falei vamos sair daqui, ele começou a rir e me disse, calma amor hoje é carnaval, hoje vale tudo. – Meu Deus, a gente não pode fazer isso aqui, eu sou casada.